quinta-feira, 15 de julho de 2010

Batidas e Surfe

Os discos de hoje vêm comprimidos para depois justificarem o investimento na rodela física, o tal objecto de colecção que apodrece até tornar-se novamente petróleo. Será de graça e livre até ficares preso às camadas e camadas de som de cacofonia pura e as canções meio estragadas. Ser livre é precisamente o contrário, a liberdade não vem com consequências, através da liberdade sonhas e alcanças o mistério. Mistério concreto esse, de viagens loucas no meio da cidade esburacada, de trânsito infernal em busca do palácio real. E também hoje entendi que bastam apenas umas batidas e umas imagens de surfe, nada mais.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial