sábado, 11 de abril de 2015

Primeira Luz

De quando em quando, surge algo que relembra a razão primária deste blogue, uma canção, um conjunto de sons, ritmos que se vão desfiando ao longo dos minutos da duração de um trecho sonoro. Não se inventa a roda, apenas surge algo que soa antigo e recente ao mesmo tempo. Sem querer parecer triunfante com esta partilha, tenho andado com esta canção no meu ouvido nas últimas semanas. Talvez sejam as melodias vocais, o tal ritmo que vai marcando o compasso, o sintetizador que é um baixo, a quebra quase no fim da canção e tudo a crescer para um final tão tenso como simples. As cidades são feitas de sol, mar e muita areia.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial