domingo, 18 de julho de 2010

Arte-alegria

Passo por esta frase, escrita por Almada Negreiros, sempre que apanho o metropolitano quando vou pela entrada norte. Atravesso o jardim, deixo a palmeira do lado direito, desço as escadas rolantes e a frase está lá depois das relações geométricas. Alegro-me quando partilho publicamente parte da razão para o início, junto à fonte com os peixes, onde tudo começou e onde tudo vai terminar. Sonho chegar ao fim e registar novamente o momento, com a descendência e uma vida cheia. A arte atravessa a vida, como as frases que se cruzam connosco. Há que ser solene, sóbrio e honesto. A alegria é a coisa mais séria da vida.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial