sexta-feira, 12 de julho de 2013

Frescura

A frescura de um dia que acordou cinzento e cinzento permaneceu, após dias escaldantes, abafados, quentes, que secaram as flores e as folhas das plantas. É nesta frescura momentânea que nos encontramos, prontos a retomar os discos que foram ficando nas prateleiras, para os usar ao serviço da festa. A festa que marcou a semana, festas de celebração de vida e de aniversários que se vão completando. Este tempo que não termina e que consome os dias que ora abrasadores ora mais frios vão acontecendo enquanto existimos. Aproveito então esta noite mais fria para sair. Sair em direcção às ruas dos bairros históricos, de prédios e habitações que permanecem nesta cidade cada vez mais antiga.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial