sábado, 25 de dezembro de 2010

Consoada #2

Na mesa o bacalhau e um bom vinho. Filhoses, sonhos e rabanadas e a lareira a crepitar. Depois do nascimento e do canto a troca de presentes habitual e a mousse de chocolate divinal para terminar o adocicamento do paladar. De regresso à cidade a realidade escura cai sobre a urbe. Chove e o piso está molhado, tudo segue de acordo com as regras de trânsito. Na praça algo sai do esquema habitual. Um carro a grande velocidade cruza a avenida e passa o sinal vermelho. Um táxi que seguia na sua faixa tenta travar e não consegue, e embate na lateral do outro carro com alguma violência. O carro que passou o vermelho foge. Foi assim a minha consoada.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial