sexta-feira, 6 de abril de 2012

Património Linguístico

A adulteração da língua portuguesa continua a avançar quase impávida e serena. Ao abrigo da unificação de uma ortografia que já não tem um todo comum, apenas ramos de uma língua em constante mutação pelos quatro cantos do mundo, opta-se por obrigar os portugueses a escreverem sem a acentuação das consoantes mudas, os brasileiros a abdicar o seu querido trema e os acentos em palavras quando lhes convém, e todos os outros a deixarem os hífens que separam logicamente duas palavras diferentes. Maiúsculas que desaparecem porque as estações do ano já não as merecem. Finalmente a dupla grafia que anula qualquer tipo de unificação. Sejamos inteligentes e defendamos o nosso património linguístico.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial