sábado, 21 de abril de 2012

Abismo Profundo

A flutuar em sentido ao abismo de uma chama torpe que se apaga no chão que piso junto daquele cais. O sentido inverso ao dos ponteiros do relógio, agarrando o tempo que já não foi, não é e nunca será. O precipício ali tão perto e a destreza de o olhar de frente porque não há medo nem receio de mirá-lo. Este atrevimento é próprio dos que ambicionam a audacidade. O segredo será não fitar esse abismo profundo durante muito tempo. Agarramos esse tempo e transformamos as horas em microsegundos e nada acontece. Porque nunca se deve cair na profundeza do abismo.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial