sábado, 21 de dezembro de 2013

Poéticos

Acordo cedo ao fim de semana desde que retomei o horário diurno de trabalho rotineiro. Abro os cortinados e olho para o verde amarelado que desce a encosta nas traseiras da nossa casa, devido à luz do nascer do sol que bate nas heras. É uma cor única que só vejo nesta hora do dia. Hoje os sonhos não foram tão intensos e só acordei uma vez durante a noite. O meu sono é sempre agitado e curto. Como o dia mais pequeno do ano que hoje se inicia. Já estou pronto para mais um Sábado e Domingo de passeio pela cidade com a minha mulher a fazer as últimas compras de Natal, tornando os dias de descanso um pouco mais poéticos.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial