terça-feira, 24 de julho de 2012

Cruzamento

A cor que se aproxima mais do momento presente é de um verde púrpura vivo em contraste com o fundo preto. É a divisão entre o que se reconhece e aquilo que é a aparência. Daí esta mistura de cores quase complementares e tão díspares. O equilíbrio e a esperança. A excentricidade e o individualismo. O cruzamento de ruas, os bairros e quarteirões e a sombra do início da tarde que se forma em frente aos prédios. As mensagens enviadas em espera de uma resposta que não chega, pois já não há ingenuidade no que se recebe e confunde-se a aparente sinceridade com o desnexo dos comportamentos anteriores. As cores, as ruas, as mensagens e a procura.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial