quarta-feira, 23 de março de 2016

Às Montanhas

Passou o tempo para escrever sobre o regresso, a maneira como regressei. O tempo passou, não parou, voou livre sem aterrar. Agora que paro e escrevo sobre isso até esboço um sorriso. Hoje, enquanto o meu filho dorme e a sua mãe trabalha até mais tarde, tenho tempo para reflectir e escrever. Há cada vez menos tempo para isso, como se a vontade e a necessidade fossem cada vez menores. Penso na forma como pretendo passar o resto do tempo até regressar às montanhas. Chego à conclusão que quero que o tempo passe rápido até lá. Sem perceber bem que até lá muito irá acontecer e como isso será bom. Até que esse tempo chegue escreverei às montanhas.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial